Processo decisório nas organizações: os 5 principais erros

Trabalhar na melhoria dos processos decisórios nas organizações pode fazer uma grande diferença, além de conduzi-lo a grandes resultados. Todavia, não trata-se de uma tarefa fácil. Processos decisórios nas organizações podem ser prejudicados por decisões pequenas, como ignorar a importância de consolidar seus dados ou por comportamentos que repetimos sem nem perceber.

Por isso, hoje nos dedicaremos a mostrar para você que é possível conseguir a melhoria no processo decisório nas organizações evitando apenas alguns erros. Siga conosco e confira essas dicas!

1. Falta de sistematização

A falta de sistematização — ou organização —, na maneira como uma empresa armazena e analisa dados é uma das principais fontes de dificuldade no processo decisório. Integrar as informações que estão disponíveis e que podem influenciar as decisões é um passo importante para fazer as escolhas certas.

Busque softwares, técnicas e metodologias que proporcionem sistematização para obter os melhores resultados na tomada de decisões.

2. Desafios na comunicação

Se comunicar bem com a sua equipe é outro princípio da boa tomada de decisões. Por isso, invista em uma cultura que prioriza a troca de informações entre colaboradores e departamentos e adote tecnologias que priorizem a transparência.

Sistemas capazes de compartilhar dados importantes para mais de um setor, por exemplo, são de grande ajuda e vão simplificar o processo de comunicação proporcionando para a empresa as melhores decisões.

3. Excesso de confiança no negociador

Para evitar erros no processo decisório nas organizações é preciso entender que os seus negociadores não são perfeitos. Embora eles tenham experiência e, muitas vezes, ajam motivados pelo instinto, essa não é sempre a melhor maneira de se tomar decisões, pois as consequências podem ser desastrosas.

Confiar cegamente na habilidade do negociador em vez de investir em ferramentas que deem suporte à tomada de decisões pode custar caro para as organizações e até fazer com que fechem as portas.

4. Pouco esforço na pesquisa

Todos os negócios podem se beneficiar de uma boa pesquisa antes da tomada de decisão, não é mesmo? No entanto, muitas vezes é isso que falta para que obtenham o desempenho esperado.

Pesquisar bem o que fazer é algo útil em qualquer situação e deve fazer parte de processos como a definição do seu público-alvo e a contratação de um novo especialista. O tempo e os esforços dedicados à pesquisa podem livrar as corporações de problemas, por isso, quanto mais importante for uma decisão mais é necessário analisar todos os fatores que podem contribuir para que ela seja acertada.

5. Medo de se precipitar

Por último, o medo é uma das motivações frequentes de erros no processo decisório das organizações. Seja ele ocasionado por uma falta de organização, seja pela baixa visibilidade que se tem na tomada de decisões, o medo sempre pode prejudicar os resultados obtidos.

Há uma série de ações que terão de ser feitas para que o negócio cresça e ganhe espaço no mercado que vão resultar em dores de cabeça — desde demitir pessoas a desfazer longas parcerias. O que não pode acontecer, para o bem da empresa, é você ser tomado pelo medo e, consequentemente, deixar decisões importantes para depois.

A falta de timing ocasionada pelos receios é muito mais prejudicial para as empresas e pode fazer com que elas percam oportunidades brilhantes de lucro e crescimento. Por isso, deixe o medo de lado e observe o quanto isso pode impactar no sucesso do negócio.

E aí, acha que com as informações contidas aqui será mais fácil melhorar o processo decisório nas organizações? Inscreva-se agora mesmo na nossa newsletter para receber, em primeira mão, outros conselhos relevantes como estes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Share This